A lenda andina que explica a cor das águas da magnífica Laguna del Inca

Voltar

Tempo de Leitura: 3 min

A cinematográfica Laguna del Inca integra o complexo do Portillo Ski Resort, um dos mais procurados centros de esqui do mundo. Localizada no Chile em meio a Cordilheira dos Andes, as águas da lagoa de altiplano têm um belíssimo tom esverdeado. Segundo as lendas andinas, as águas têm esta cor por conta de uma história de amor e um trágico acidente…

Antes da chegada dos espanhóis, quase toda a extensão da Cordilheira dos Andes era dominada pelo Império Inca. Os Filhos do Sol buscavam aproximar-se o máximo possível do Astro Rei para realizar seus rituais e cerimônias religiosas. Por isso veneravam as alturas das montanhas, pois nestes lugares sagrados sentiam-se mais perto do Sol.

Reza a lenda que o guerreiro inca Illi Yupanqui vagava em busca de uma esposa. Após muito procurar, enamorou-se pela princesa mais linda princesa do Império: Kora-Ilé, dona de magníficos olhos cor de esmeralda.

Para trazer bons augúrios para o casamento, foi escolhido um local especial no meio dos Andes. Três picos debruçados sobre uma belíssima lagoa nas alturas – a Laguna del Inca. Como parte do ritual de núpcias, a princesa Kora-Ilé devia subir e descer as montanhas acompanhada por seu séquito real.

Ornamentada com longas vestes que reluziam com pedras preciosas de todos os tipos,  cores, e tamanhos, vinha a princesa. E foi passando pelos tortuosos e estreitos caminhos com seus inúmeros súditos e pajens.

Hotel Portillo Ski Resort Laguna del Inca Chile
Hotel Portillo Ski Resort

Tragédia nas alturas

Finalizada a cerimônia de união, a princesa e sua trupe iniciaram a descida pelas trilhas salpicadas de pedrinhas. Foi quando, num momento de descuido, Kora-Ilé enredou-se em seus vistosos trajes nupciais. A princesa acabou escorregou sozinha na trilha e, desequilibrando-se, e caiu no vazio do profundo precipício. Suas vestes esvoaçantes deixaram um rastro colorido pelo ar enquanto caía.

Ao ouvir os gritos de sua esposa ecoando entre as montanhas, Illi Yupanqui desvencilhou-se de seu séquito e desceu correndo a trilha. Mas encontrou o corpo da mais bela princesa do Império jazendo já sem vida no fundo do abismo.

Atordoado pelo choque e pela tristeza da perda, o guerreiro então decidiu: o único lugar digno de receber o corpo da princesa era a lagoa sagrada onde foi realizada a cerimônia de casamento. E lá, envoltos em lindas vestes, foram depositados os restos mortais da bela princesa Kora-Ilé.

O corpo foi afundando devagar. Ao tocar o fundo, magicamente as águas da lagoa adquiriram um magnífico tom esverdeado cor de esmeralda, exatamente igual à cor dos olhos da princesa.

O lamento do guerreiro

Desde então, em noites ventosas de lua cheia, dizem que até hoje é possível ouvir as lamúrias do guerreiro inca Illi Yupanqui às margens da Laguna del Inca, cantando e lamentando a tristeza e a saudade de sua amada princesa Kora-Ilé.

Illi Yupanqui Kora-Ilé Laguna del Inca
Illi Yupanqui chora sua amada Kora-Ilé na Laguna del Inca

Compartilhe este post:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Voltar

Promoção de Lançamento: Avaliação Gratuita de Site

Relatório gratuito sobre a velocidade e SEO do seu site!

Receba seu report produzido por especialistas em até 7 dias úteis.